TUDO PELO SÃO JOÃO DE MOSSORÓ

No dia 29 de junho 2017 resolvi me aventurar e ir conhecer o São João de Mossoró, uma das principais festas juninas do Rio Grande do Norte. Foi uma viagem programada em pouco tempo, cerca de um mês de antecedência. Inicialmente iria de carro com uns amigos e dividiríamos os custos com combustível, porém, uns 15 dias antes começamos a perceber que o gasto com combustível não seria a nossa única despesa. A viagem para Mossoró dura em média 4 horas saindo de Natal, e como passaríamos a noite na festa, o mais seguro seria dormir em algum lugar antes de voltarmos. Sendo assim, precisaríamos gastar também com hospedagem, então, uma semana antes da ida programada, os meus amigos desistiram por falta de dinheiro. Aí pensei, e agora? Na hora, cogitei desistir, ir para outro lugar, só que a minha outra opção era Campina Grande, que eu já havia ido na semana anterior. Daí comecei a procurar outras formas de ir a Mossoró, meu objetivo principal, de uma maneira não muito cara.

Pesquisando, encontrei um aplicativo que agenda caronas com pessoas que irão viajar sozinhas de carro e querem dividir a despesa com combustível, porém ninguém iria à data que eu queria. Tentei procurar empresas que estivessem realizando bate-e-volta de Natal para Mossoró, serviço que usei para ir a Campina Grande, mas não havia ninguém. Portanto, me restou somente a opção de ir de ônibus intermunicipal.

No dia 27 de junho, uma terça feira, fui até a Rodoviária de Natal para comprar meu ticket de viagem. A única empresa que estava vendendo passagem para Mossoró era a Viação Nordeste. Eles oferecem dois tipos de serviço, o convencional e o semi-leito. Escolhi a convencional, porque não acho a viagem tão longa e é mais barato. A passagem no ônibus convencional custava R$ 55,00 a inteira, mas eles tem alguns horários que o valor ficou por R$ 48,00, e apresentando a carteira de estudante, a empresa cobra  meia, e foi o que fiz. Comprei a passagem para 12h15min saindo de Natal com previsão de chegada às 16:30 em Mossoró.

No dia 29, saí de casa às 11h30min para ir à rodoviária. Moro na zona norte de Natal, e tem uma linha de ônibus urbano (08 – Redinha/Mirassol) que passa em frente à rodoviária. Como nesse horário não tem muito trânsito cheguei às 12hs e o embarque foi tranquilo. Apesar de junho ser uma mês de muito movimento na rodoviária por causa das férias escolares, não há muito tumulto na hora do embarque e os ônibus costumam sair no horário correto.

A viagem foi tranquila, o ônibus pára em algumas cidades para embarque e desembarque, e também para um lanche. Em algum momento ele acabou atrasando, e chegamos a Mossoró depois das 17hs.

A cidade de Mossoró tem um problema com transporte público: são poucas linhas de ônibus urbano e elas não trafegam em grande parte da cidade. Para suprir essa carência eles contam com uma boa frota de táxi e serviço de moto táxi.

Em junho ainda não tinha o serviço de Uber em Mossoró, e, diferente de Natal, a capital do Oeste ainda não é mapeada com relação ao transporte urbano, o que dificulta para saber quais são as linhas de ônibus da cidade e por onde elas passam. Mas, olhando no mapa, vi que de onde desci, no centro da cidade, até a Estação das Artes Elizeu Ventania, local onde acontece o espetáculo “Chuva de Bala”, levava 15 minutos, então fui andando.

Depois de conhecer um pedacinho da cidade, fui ao espaço do Mossoró Cidade Junina, assisti ao “Chuva de Bala no País de Mossoró”, espetáculo maravilhoso, e os shows da noite. Cheguei a pegar ainda uma chuva em Mossoró, fenômeno não muito frequente, e logo chegou a hora de voltar para Natal.

Os shows terminaram por volta de 2h15min, mas o meu ônibus estava marcado para as 04hs. É o primeiro que sai para Natal. Como ainda tinha tempo fiquei vendo as pessoas voltarem para casa.

Para ir até a rodoviária utilizei o serviço de moto táxi, que considero bom, rápido e barato. Penso que Natal poderia ter esse serviço. O trajeto até a rodoviário é curto (10 minutos) e custou R$ 15,00, por causa do horário. Cheguei à rodoviária de Mossoró antes das 3hs. O lugar é meio esquisito de madrugada, não havia praticamente ninguém, apenas uns funcionários, dois taxistas e cerca de 7 pessoas  esperando para serem atendidas na Central do Cidadão, que fica no mesmo prédio.  O lugar fica um pouco afastado da cidade, o que dá certo receio de ficar lá, mas no fim deu tudo certo. Embarquei às 4hs, cheguei em Natal por volta das 9hs. Desembarquei no Shopping Via Direta, estava chovendo bastante, e de lá peguei um ônibus para minha casa na zona norte.

Com essa viagem percebi que é possível viajar de ônibus com conforto e chegar ao seu destino com tranquilidade e pagando um valor justo. Organizando com calma e tendo um pouco de espírito aventureiro, dá para ir naquele lugar sonhado, gastando pouco, divertindo-se muito e colocando em prática o lema: “Não passe vontade, vá!”.

Brenda Sarayane dos Reis Bastos*

* Discente do 5º período do Curso de Turismo da Universidade do Estado do Rio Grande do Norte (UERN), Campus Natal.